segunda-feira, 26 de junho de 2017

Superando as expectativas - Mateus 5.43-48

Ser cristão é “nadar contra a correnteza”, implica numa prática de vida que supera as expectativas. É justamente isso que Jesus nos ensina em Mateus 5.43-48, ao falar acerca do dever que temos de amar a todos, até mesmo aqueles que são nossos inimigos e que nos perseguem.
O Senhor Jesus demonstra que na prática do amor a expectativa comum, que normalmente é esperada, é que o amor seja demonstrado àquelas pessoas que são fáceis de se amar, ou seja, com quem não temos qualquer barreira ou impedimento. O Senhor Jesus estava corrigindo uma interpretação de Levítico 19.18,  que era aceita entre os judeus, mas, que não correspondia ao espírito da lei dada por Deus através de Moisés. Os interpretes da lei, entendiam que o mandamento de Deus, “amarás ao teu próximo como a ti mesmo”, deveria ser aplicado somente na relação entre judeus, e que tal mandamento não se aplicava na relação interpessoal, com pessoas que não pertenciam a seu povo. O próximo de um judeu, portanto, era outro judeu, ou seja, uma pessoa com quem não tinham qualquer barreira ou impedimento para exercer o amor. É claro que a interpretação aceita pelos judeus, atendia as inclinações pecaminosas do coração. O amor proposto por tal interpretação era um “amor barato e egoísta”, na verdade não era amor de verdade, o amor bíblico ensinado por Deus em toda a Escritura.
Jesus ensina que o nosso amor ao próximo deve superar as expectativas. Devemos amar aquelas pessoas com que tem não temos qualquer impedimento, mas, amar aquelas também, que exija de nós, um amor, que supere às nossas preferências. É fácil amar quem não se opõe a nossa opinião, quem gosta de nós, quem é agradável,  quem é gentil e nós respeita. Jesus ensina que isso é fácil e qualquer um faz (o publicano e o gentil), mas, agir diferente, amar quem nos odeia e nos persegue, somente faz isso, quem de fato e de verdade é filho do Pai celeste. Deus demonstra seu amor para com todos, fazendo o sol nascer e enviando chuva para todos. Não são somente seus filhos, ou aqueles que lhe são obedientes são alvos de suas bênçãos, mas, até mesmo aquele que o odeia ou nega sua existência, são abençoados pelo Senhor.

Ame seu irmão, seu amigo, aquela pessoa agradável e gentil, mas, ame a todos, até mesmo seus inimigos e perseguidores. Demonstre amor a todos e supere as expectativas de todos. Seja perfeito, “como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mt 5.48).