terça-feira, 5 de junho de 2012

A Bênção do Perdão


A despeito dos pecados cometidos principalmente por Davi, e também por Bate-Seba, Deus os perdoou. O perdão foi declarado logo depois de Davi reconhecer a culpa: “[...] disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Disse Natã a Davi: Também o Senhor te perdoou o teu pecado; não morrerás” (2Sm 12.13). Já foi demonstrado que Davi colheu consequências por causa de suas culpas. Isto quer dizer que receber perdão não implicava em anulação das consequências Deus o havia perdoado mediante seu arrependimento.

No Salmo 51, que conforme o título que recebeu foi escrito por Davi em razão de seu adultério com Bate-Seba, o salmista faz uma confissão bastante detalhada onde reconhece suas culpas. Davi demonstra nesse salmo a certeza que tem de que Deus pôde perdoá-lo e restaurar sua vida, restituindo-lhe a alegria da salvação (Sl 51.12).

Embora como já demonstrei, se por um lado, a história de Davi serve como alerta de como podemos cair em tremenda transgressão e ruína espiritual, por outro lado, por maior que seja a nossa culpa, mesmo que seja na proporção da culpa de Davi, ou até maior, aprendemos sobre a grandeza da ação misericordiosa de Deus. Na ação de perdoar Davi, podemos entender a profundidade das palavras do profeta Jeremias: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade” (Lm 3.22-23). Percebe-se, que por maior que seja a culpa de alguém, não é suficientemente grande em comparação a grandeza do amor e misericórdia de Deus, manifestadas em Cristo Jesus por meio de sua obra (Rm 5.1-11). Paulo diz que “onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Rm 5.20). Por maior que fosse a culpa e os pecados de Davi, a graça do Senhor era muito maior, sendo poderosa para perdoá-lo e superar sua culpa.

O perdão de pecados está disponível a todos que arrependidos confessam seus pecados a Deus (1Jo 1.9). A certeza que temos é que todas as vezes que confessarmos os nossos pecados, Deus é fiel e justo e nos perdoará. É interessante notarmos que Davi foi perdoado imediatamente após ter reconhecido sua culpa (2Sm 12.13). A certeza do perdão de Deus não deve servir como licença para pecar (Rm 6.1-14), mas serve-nos de conforto saber, que se pecarmos, podemos recorrer a nosso advogado e lhe suplicar auxílio e perdão (1Jo 2.1-2).  Temos que lutar para não pecar, mas se todavia pecarmos, temos a certeza confortadora do perdão.

Além da bênção do perdão, Davi e Bate-Seba foram abençoados com um filho. A Davi e Bate-Seba nasceu Salomão. Com o nascimento de Salomão seus pais foram consolados pela perda do primeiro filho. Este filho recebeu o nome pelo profeta Natã de Jedidias, nome que significa literalmente “Amado do Senhor”. Este seria também alguém usado por Deus em seu serviço, pois, se tornaria rei em lugar de seu pai e seria o responsável pela construção do templo de Jerusalém (2Cr 3.1-2). Salomão se destacou pela sua grande sabedoria (2 Cr 1.7-13).

O nascimento de Salomão é a demonstração, de que Deus está sempre pronto a abençoar seus servos, a despeito de não merecerem nada de suas mãos. Podemos perceber como que a graça de Deus supera nossos pecados e indignidades. Davi havia se arrependido, recebido o perdão e agora tinha a oportunidade juntamente com Bate-Seba de serem instrumentos das bênçãos de Deus e alvos de sua graça. O fato mais significativo relacionado ao nascimento de Salomão está em que deste descenderia Cristo Jesus. Isto é destacado por Mateus na genealogia que apresenta de Cristo Jesus: “Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi, a Salomão, da que fora mulher Urias” (Mt 1.6). Nota-se que Mateus, inspirado pelo Espírito Santo ao escrever sobre a genealogia de Cristo, não deixou de lembrar que Salomão era filho de Davi com a mulher que fora esposa de Urias. Apesar do pecado de Davi e Bate-Seba, a graça do Senhor tornou possível que por meio deles nascesse aquele, de quem descenderia o Messias.

Através de tais fatos, que demonstram a bênção de Deus sobre Davi e Bate-Seba, somos encorajados e confortados, pois, percebemos que os pecados perdoados do passado, não podem interferir ou impedir que sejamos abençoados por Deus. Deus não mais se lembra das transgressões passadas praticadas por nós e perdoados em Cristo, não deixa de derramar sobre nós suas bênçãos. É claro que isso não significa que as consequências resultantes de nossos pecados não mais ocorrerão. Isto também é verdade em relação a Davi e Bate-Seba. O pecado de Davi trouxe sérias consequências sobre ele e sua família, apesar de ter sido perdoado e abençoado com mais um filho (2Sm 12.10-14).

A história de Davi e Bate-Seba, demonstra que na vida cada escolha feita de forma errada resultará em alguma consequência. Vimos que a escolha de Davi foi determinada por seu descuido espiritual. No entanto, apesar do grande pecado de Davi e Bate-Seba e dos desdobramentos de suas escolhas e das trágicas consequências, Deus demonstrou sua graça e amor, restaurando-os, perdoando-os e ainda mais, concedendo-lhes a oportunidade de terem um outro filho, de quem descenderia o Messias, o Salvado Jesus.