sexta-feira, 9 de abril de 2010

O auditório de UM SÓ

“Sonda-me, ó Deus e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos [...]” (Sl 139.23)

“A maioria de nós, quer estejamos ou não cônscios disso, fazemos as coisas com o olho na aprovação de algum auditório. A questão não é se temos um auditório mas qual o auditório, qual o ouvinte, que temos.” Esta observação, quem faz é Os Guinness em seu livro O Chamado, editado pela Editora Cultura Cristã.
Os Guinness, toca em um ponto muito importante e que raramente percebemos, ou seja, nossa preocupação em fazer as coisas de tal maneira que tenhamos a aceitação das pessoas, em vez de fazer tudo de tal maneira que seja agradável Àquele que tudo sabe e tudo vê. O que irão pensar de mim? Terei aceitação das pessoas? Essas e outras perguntas passam a determinar nossas ações e comportamento, demonstrando que buscamos aceitação de um auditório que não deveria ter a prioridade. Percebam que as perguntas deveriam ser direcionadas a outro auditório, ao auditório de UM SÓ. Deveríamos, independente da popularidade de nossas ações, se aceitas ou não pelas pessoas ao nosso redor, nos preocupar com a aceitação ou não de nossas ações perante Deus. Aquele que tudo vê, que tudo ouve, que tudo sabe, está satisfeito comigo? O que tenho feito lhe tem sido agradável? Está é a sua vontade?
Comentando Mateus 6.1-4, Os Guinness diz o Seguinte: “Jesus intensifica essa mesma ênfase. Ele lembra aqueles a quem chama que o Pai ‘sabe e ‘vê’. Deus nota a andorinha que saltita sobre o chão, e numera os próprios cabelos da cabeça de seus seguidores. Contrário ao desejo humano universal de exibir a virtude e dar a fim de ser reconhecido e honrado, Jesus requer que nossas boas obras sejam feitas em secreto. ‘Então vosso Pai, que vê em segredo, vos recompensará’”. Portanto, conforme o texto citado e o comentário que tal autor faz, a nossa preocupação com o que fazemos ou deixamos de fazer, deve estar acima de tudo, com o que Deus irá pensar, Ele que a tudo vê e recompensa, mesmo quando tal ação for realizada em segredo.
No Salmo 139, o salmista Davi demonstra que Deus é aquele que conhece todas as suas ações e que nada foge ao seu conhecimento. Conforme o Salmo, podemos entender, que para onde quer que vamos Deus ali está e conhece. Não há como fugir de sua presença e portanto, isto deve produzir em nós temor e um coração contrito: “Vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Sl 139.24). Tudo o que está em nosso coração e até mesmo nossa motivação para realizar algo, é por Ele conhecido. Desta forma, não deveríamos nós, nos preocupar antes com o que o nosso Deus e Senhor acha? Deveríamos temer antes a este Auditório e não nos preocupar com os demais. Muitas vezes fazer a vontade de Deus, obedecendo a sua Palavra, pode nos conduzir a impopularidade.
Com qual auditório temos estado preocupados? A quem temos demostrado obediência e a quem temos agradado?
Viver diante do auditório de UM SÓ, transforma todas as nossas realizações. Os Guinness diz ainda: “É por essa razão que o heroísmo centrado em Cristo não precisa ser notado ou publicado. Os maiores feitos são realizados perante o auditório de Um Só, e isso basta. Os que são vistos e louvados por este único Ouvinte podem se despreocupar com auditórios menores”.
Que nossa preocupação, em todas as nossas obras, seja em agradar Aquele que nos chamou para si.